Eclipse Lunar mais longo do século 21 criará a “Lua de Sangue” nesta sexta-feira!

Eclipse Lunar mais longo do século 21

O fenômeno, previsto para acontecer nesta sexta-feira (27/07), será observável em todo o Brasil. Os brasileiros terão o privilégio deste espetáculo astronômico mais interessante para 2018. O eclipse lunar formará uma “Lua de Sangue” no céu, o nome se dá pelo fato da lua adquirir um tom avermelhado durante o fenômeno. Isso é possível pelo fato dos raios solares incidir na atmosfera terrestre.

O eclipse total estará visível por 1 hora e 43 minutos no sudeste da Ásia e no leste da África. No Brasil, vai depender muito da localidade e estará visível por cerca de 1 hora.

Como observar a “Lua de Sangue”

Vai depender muito da posição geográfica para observar o fenômeno. A porção leste do país, incluindo Salvador e Rio de Janeiro, dever ver o eclipse total, já na fase em que a lua está 100% encoberta pela sombra da terra. Enquanto na parte oeste do país, o eclipse será apenas parcial e uma meia-lua luminosa poderá ser vista no céu (melhor do que nada, não?).

Especialistas dão dicas para aproveitar o fenômeno, é sempre bom procurar um local em que seja possível observar o horizonte sem obstáculos à frente, como por exemplo prédios e construções. Outra dica crucial é procurar um local sem muitas luzes, quanto mais escuro melhor. Com essas dicas, você pode observar a olho nu, por ser um astro brilhante, ou com um binóculo ou telescópio.

Para saber se é possível ver na sua região, veja no gráfico abaixo:

Como ocorre um Eclipse Lunar

Eclipses lunares ocorrem quando o satélite natural da Terra (a Lua) atravessa a região de sombra que nosso planeta projeta no espaço. Esse evento ocorre no mínimo duas vezes por ano em algum lugar no mundo. 

A “Lua de Sangue”, nada mais é um nome informal que o astro recebe durante esse tipo de fenômeno específico, devido à cor avermelhada que ela adquire. Ufa!

No eclipse lunar, a Terra fica exatamente entre a Lua e o Sol.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Esperamos que essas dicas tenham ajudado a ser possível observar esse fenômeno do século XXI. 

Comentários