Afinal, o travesseiro da NASA, é realmente da NASA?

Travesseiro da NASA. Você já deve ter visto ou lido algo assim por aí, certo?

Ele promete mil maravilhas para o seu sono e a publicidade diz que ele foi feito para os astronautas com tecnologia da agência espacial norte-americana.

O brasileiro Marcos Pontes é o garoto-propaganda deste produto que é comercializado por várias marcas.

Deixa eu adivinhar… Você também já se questionou se realmente esse travesseiro teve alguma participação da NASA na sua produção/criação. Acertei? (risos).

E se eu te disser que SIM, a NASA tem participação nesse produto, você acredita? Eu explico:

Em 1966 o material desse travesseiro foi criado. Ele tem em sua composição o poliuretano com vicosidade e densidade maiores.

Criado pelos cientistas Chiharu Kubokawa e Charles Yost em contrato com a NASA pelo Ames Research Cente, ganhou o nome de espuma visco elástica.

A ideia de sua criação foi para desenvolver um material que aumentasse a segurança e o conforto do estofamento das naves da agência.

NÃO APROVADO NOS TESTES

Por possuir um cheiro forte o material foi reprovado para uso nas naves, pois esse cheiro poderia incomodar os tripulantes.

Foi aí que Charles Yost fundou uma empresa, em parceria com a NASA, para comercializar o material fora da agência espacial.

Foi então que ele começou a ser usado em produtos médicos e até como estofamento para capacetes de futebol americano.

De fato, com o passar do tempo, nos anos 80, a tecnologia para produzir essas espumas ficaram mais baratas e houve uma diminuição do odor.

Portanto, daí em diante ocorreu a produção em maior quantidade e com um preço mais acessível.

Chegou-se então ao nosso famoso TRAVESSEIRO DA NASA, “um travesseiro que se adapta ao seu formato ao deitar nele”.

E aí, já teve alguma experiência agradável ou desagradável com este produto? Deixe seu depoimento nos comentários logo abaixo.

Fonte: Super Criativo

Compartilhe este post:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Este blog utiliza cookies para garantir uma melhor experiência. Se você continuar assumiremos que você está satisfeito com ele.