A verdadeira história do Natal

O Natal, celebrado no dia 25 de dezembro,  tem como a principal figura o nascimento de Jesus Cristo. Porem nos dias atuais, a data é celebrada de diversas formas, não apenas religiosa, mas a tradição de figuras natalinas (Papai Noel) e ações fraternais.

Durante séculos se comemora o natal cristão na forma que conhecemos hoje. Para entender melhor como surgiu o natal e sua festa tradicional, precisamos conhecer as celebrações no início dos séculos.

Origem do Natal Cristão

Na antiguidade, outros povos também celebravam a data. Existem diversas história sobre o conceito de natal, pelo menos 7 mil anos antes do nascimento Jesus. Porem vamos detalhar o período das festas pagãs romanas.

O natal teve origem em festas pagãs, os romanos celebravam a chegada do inverno. Eles cultuavam o deus Sol (luz) e realizavam dias festivos com a intenção de renovação, essa celebração era realizada exatamente no dia 25 de dezembro.

A partir do início do século IV, quando o cristianismo se tornou a religião oficial no governo romano por Constantino, a festividade do dia 25 de dezembro passou a ser consolidada como Natal do Senhor (Natale Domini). A ideia de inserir o nascimento de Jesus com a data, revela-se pelo fato de não se saber ao certo o dia em que Jesus nasceu, essa foi uma forma de cristianizar as festas pagãs romanas, dando uma nova simbologia para a data e crença.

No ano 529, o Imperador Justiniano, decretou o dia 25 de dezembro como oficial e declarou feriado nacional. O significado Natal, tem origem na palavra do latim “natalis” que é derivada do verbo nascer.

Tradição e Símbolos do Natal

Diversos costumes tradicionais e populares associados ao Natal, desenvolveram-se de forma independente da comemoração do nascimento de Jesus. Celebrações populares das festas pagãs também foram convertidas para a festa cristã. Antigamente as festas pagãs duravam 12 dias, e se encerravam no dia 06 de janeiro, coincidindo com o tempo que levou os três reis Magos para chegarem na cidade de Belém e entregarem os presentes a Jesus (incenso, ouro e mirra). Atualmente, as pessoas costumam desmontar as árvores e as diversas decorações natalinas depois de 12 dias após o natal.

Primeiro Papai Noel

A figura do bom velhinho (Papai Noel), segundo historiadores, foi inspirada no bispo Nicolau, que nasceu na Turquia. Durante o século IV, Nicolau costumava ajudar pobres e com sua generosidade doava presentes para as crianças. Foi transformado em santo (São Nicolau) pela Igreja Católica.

Por volta do século XIII as práticas de São Nicolau de dar presentes se espalhou pela Europa, por aparecer com trajes de bispo acompanhado por ajudantes distribuindo presentes. A associação da imagem de São Nicolau ao Natal aconteceu na Alemanha e se espalhou pelo mundo rapidamente. Porem a imagem popular de Papai Noel, foi criada nos Estados Unidos no final do século XIX.

O primeiro presépio foi montado por São Francisco de Assis, no século XIII, na Itália. São Francisco quis recriar o cenário do nascimento de Jesus Cristo, para explicar para a população de forma lúdica como teria acontecido.

Hoje vemos cada dia mais a montagem de presépios e tornou-se tradição forte montar em igrejas, casas, praças e diversos locais durante o período de natal.

O Natal atual

Durante séculos, o natal tem se mantido como uma das datas mais importantes do ano. Tem sua importância dentro do contexto religioso mas também é uma data muito importante para comerciantes e estimulo econômico de muitos países.

Hoje o natal é celebrado com o intuito fraternal, confraternizar com amigos e familiares, com canções natalinas e presentes. No Brasil, nos últimos anos é comum a prática entre amigos e colegas de empresas a brincadeira do amigo secreto (amigo oculto).

O Natal trás para a humanidade um sentimento de paz, perdão e amor ao próximo. Toda essa tradição manteve acesa a fraternidade e festividade, tornado o natal uma data especial para a humanidade.

Comentários